Sejam Bem Vindos...


Este Blog foi criado para compartilhar a palavra de Deus...
Se você está passando por momentos dificeis saiba:
Você está Em Obras!
Deus não te abandonou... Ele está trabalhando em teu favor...
Somente confie e descanse no Senhor...
Que Deus te abençoe em cada palavra e renove tuas forças para sempre estar firme nas promessas que Ele nos fez...


Translate

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

ZIKA Vírus (Um Alerta Para As Crianças) - Paulo Junior


terça-feira, 17 de novembro de 2015

Lutando Sozinho...



quarta-feira, 10 de junho de 2015

Os três tipos de crentes da atualidade

Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor!

Durante os aproximadamente três anos e meio de seu ministério o SENHOR Jesus Cristo reuniu em torno de si uma grande multidão de pessoas: algumas para ouvir uma palavra e seguir seus ensinos fielmente, outras interessadas nas bênçãos, enquanto outras procuravam ocasião para condená-lo (Mc 11.18). 

Nos nossos dias em nossas igrejas também têm atraído pessoas com diferentes motivações:

Algumas querem ouvir uma palavra para mudar suas vidas (Hb 4.12) e depois de terem suas vidas transformadas ajudam a proclamar o verdadeiro evangelho (Jo 4.28-30), outras estão interessadas nas bênçãos materiais (carro, casa, dinheiro $), afetivas e curas; e também ainda há as que conhecem as escrituras e não vivem, mas estão prontos a apontar erros e problemas nos outros.
Devido às diferentes motivações podemos observar que há três tipos de crentes atualmente:
Os "bem suados", os abençoados e os que são uma bênção. 

I. Os crentes “bem suados”.
São aqueles que correm atrás das bênçãos, mas não querem o Deus da bênção. Vivem atrás de movimentos, de pregadores, cantores e sinais. Gostam de apontarem defeitos e problemas em outros irmãos, mas não olham para si próprios (Mt 7.3-5). 

 Houve uma distorção do significado da fé bíblica. As pessoas, equivocadamente, pensam que fé é o poder sobrenatural que deve ser usado para conseguir dinheiro, prosperidade financeira e coisas do tipo; e que as pessoas devem ir à igreja para exercitarem a fé e conseguirem todas essas''bênçãos''.

       Devemos abandonar essa postura de buscadores de bênçãos. Os buscadores de bênçãos não estão tão interessados na pessoa de Jesus; eles estão interessados naquilo que Jesus pode fazer por eles. O buscador de bênçãos é como aquela pessoa que vai a uma loja fazer compras: ela não quer saber se o dono da loja está bem ou mal, feliz ou triste, com saúde ou doente. O seu interesse não é relacionado ao dono da loja, mas sim com o produto que o dono oferece. Assim também é o buscador de bênçãos: ele não quer nem saber de Jesus, só quer conseguir as suas bênçãos.

         O buscador de bênçãos só corre atrás dos sinais

Ele sempre e UNICAMENTE corre atrás dos sinais, das maravilhas, dos milagres, dos eventos poderosos e dos moveres sobrenaturais. Toda a sua vida cristã é vivida SOMENTE em torno da busca de coisas novas, experiências “extravagantes” e bênçãos maravilhosas. Por isso, ele não consegue se firmar em uma única igreja. Ele está sempre “borboletando” em várias igrejas em busca de coisas cada vez mais surpreendentes.
Se, por exemplo, ele ouve que em determinada igreja está acontecendo uma campanha de oração por casamento, ele deixa de participar da sua comunidade para ir atrás da bênção; se em um certo local as pessoas estão caindo no chão de tanto rir, então ele vai passar um tempo nesse local; se ele ouve que em outra comunidade várias pessoas estão ganhando dinheiro, ele abandona a sua igreja e começa a participar dessa outra comunidade.
Era isso o que acontecia com aquelas pessoas que estavam seguindo a Jesus. Elas não se importavam com Ele nem se interessavam em colocar em prática os seus ensinamentos. Elas o seguiam apenas para terem experiências novas e diferentes. Num determinado momento, elas seguiam a Jesus por causa das curas que ele fazia e, em outro, iam atrás dele por causa dos sinais miraculosos (João 6.2;23).

           O buscador de bênçãos só corre atrás da satisfação pessoal
Ele está preocupado UNICAMENTE consigo mesmo e com a satisfação dos seus desejos. Para ele, Deus é como o gênio da lâmpada mágica; alguém que está sempre disponível para satisfazer cada um dos seus desejos pessoais. A pergunta do buscador de bênçãos é apenas uma: “O que EU POSSO ganhar se começar a seguir a Jesus e se começar a frequentar aquela igreja?” Se alguém lhe responder que os seus problemas vão ser resolvidos, que ele vai se sentir mais amado, que ele vai ser promovido na empresa, que ele se tornar um empresário, que ele vai prosperar nos negócios, então, rapidamente, ele decide seguir o que lhe foi apresentado.

     Aqueles homens e aquelas mulheres que estavam seguindo a Jesus tinham essa mesma mentalidade consumidora. E Jesus sabia que era isso que estava acontecendo. Por isso Ele afirmou, no versículo 26: “A verdade é que vocês estão me procurando não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram SATISFEITOS.”. O que as motivava era a idéia capitalista de que seguir a Jesus poderia ser um bom negócio, uma boa fonte de renda e de prazeres consumistas.


II. Os crentes abençoados. (Dt 28.2)
São aqueles que vivem uma vida regrada conhecem as escrituras passam por provas e tribulações e louvam ao SENHOR mesmo assim (Jó 1.21), e a cada dia crescem na fé, na esperança e no amor. (1 Co 13.13) 

Eu não corro atrás de bênçãos, elas é que tem obrigação de me alcançar!
Existe uma expressão popular e muito comum, que com certeza você já deve ter ouvido inúmeras vezes, que é a seguinte: “Estou correndo atrás, estou batalhando”.
É a resposta não passa da mais pura expressão de incerteza no futuro que eu conheço. Claro que muitos irão dizer: “Mas eu estou mesmo batalhando, dando meu couro pelo meu sucesso”, aí eu pergunto. Então por que ainda não alcançou?
A maior parte da população mundial não nasceu com o “bumbum” virado para a lua (outro ditado popular), tão pouco em berço de ouro, por isso passam a vida dando o sangue por um ideal, que quase nunca alcançam…
Batalhar pelo sucesso não garante 100% da vitória. Quantos lutam, se esforçam, fazem o melhor e ficam feliz por alcançarem o 2º lugar, o problema é que perderam o 1º! Depois de algum tempo, ninguém mais se lembra de quem ganhou a medalha de prata, mas com toda certeza, jamais esquecerão a medalha de OURO. Deus não quer você em segundo lugar, mas como Pai, nos quer ver em primeiro!!!
“Se atentamente ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o SENHOR, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra. Se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bênçãos…”(Deuteronômio 28:1-2)
Como é que é? Então é só ouvir a Deus que tudo de bom acontece na minha vida? Muita gente nos procura dizendo que ouve a Deus vem à igreja e estes versos Bíblicos não se cumprem em suas vidas…
Então, vamos analisar a profundidade destes versículos, muito conhecido da maioria dos cristãos, recorrendo ao dicionário (veja no fim deste post o significado de cada palavra) e a seguir, a fé…
E agora, minha pergunta é: Será que você tem mesmo dado ouvidos a voz do Senhor teu Deus, Ele é mesmo o “Seu Deus”? Ah… Se sim, então as bênçãos tem que te alcançar!
Numa maratona correr atrás, significa perder o 1º lugar, pode-se até chegar ao podiam, mas não significar ganhar o Ouro! Por isso, nem sempre afirmar que está “batalhando” ou “correndo atrás” resolverá o seu problema. As igrejas estão cheios de crentes acomodados que justificam sua falta de atitude e fé com está expressão, quando a Palavra de Deus nos garante que para sermos vencedores, basta simplesmente ir a frente! Avançar, agir, crer, se entregar 100% nas mãos de Deus e as bênçãos tem obrigação de nos alcançar, então com o que devemos nos preocupar? Parece tão fácil, confio e tudo acontece não preciso me esforçar que Deus me dará tudo! Não, mil vezes não!
Estes versos simples da Bíblia traduzem um sacrifício tremendo que garante uma vida plena. Infelizmente, muitos estão passando por cima desta promessa sem atentar para a profundidade do que Deus realmente quis dizer… Um trecho básico e curto, com promessas profundas, onde as pessoas estão aptas a cobrar o cumprimento em suas vidas, mas dificilmente querem sacrificar e pagar o preço para seguir e, então, colher os seus frutos! Aliás, todo mundo é bom de cobrar, porém na hora de sacrificar… A conversa muda de rumo!
Abrão ouviu a voz de Deus e seguiu para o desconhecido, obedeceu, contrariou os costumes, guardou a promessa em seu coração, se manteve firme, mesmo diante das situações mais adversas. Teve várias oportunidades e razões para duvidar, para se queixar e voltar a trás… Estava só na sua fé, colocou sua vida, família e futuro 100% nas mãos de Deus, assumiu todos os riscos de sua crença e não partiu deste mundo sem ver e ser a glória de Deus em sua vida. Se tornou o Pai da fé, recebeu um novo nome (Abraão – engrandecido), foi exaltado em todas as nações, se tornou riquíssimo, foi feliz sentimentalmente, morreu em ditosa velhice e perpetuou a sua descendência para sempre!
Se não estiver disposta a seguir “atentamente” as orientações de Deus, então não há porque nem se dizer cristã, também, depois não adianta procurar seu líder espiritual e fazer queixinhas, porque quem segue a risca a voz de Deus, colhe uma vida plenamente abençoada, não tem do que reclamar!



III. Os crentes que são uma bênção.  (Dt 28.1-14)
São aqueles além de serem abençoados é canal de bênção para suas famílias, trabalho, escola e igreja. São os exemplos dos fiéis (1 Tm 4.12), pessoas zelosas por obras excelentes e suas vidas são para servir ao SENHOR normalmente são humildes, pois sabem que toda glória e toda honra pertence ao SENHOR(Is 42.8).
Não precisamos correr atrás das bênçãos, pois se andarmos nos caminhos do SENHOR elas nos alcançarão (Dt 28.2), não precisamos correr atrás dos sinais, pois na verdade os sinais seguiram os que creem e não o contrário (Mc 16.17).
Seremos abençoados se tememos e andarmos firmemente nos caminhos do SENHOR (Js 1.7-9;Sl 128) e seremos um canal de bênção para todos se compreendermos e vivermos os ensinamentos de Jesus (Mt 5-7).

Vamos meditar um pouco mais em Deuteronômio28!

Todos nós salvos em Cristo Jesus, desejamos que as bênçãos de Deus sejam derramadas em nossas vidas. Procuramos por vários meios que essas bênçãos nos alcancem. Muitos procuram fazer campanhas atrás dessas bênçãos; outros fazem
promessas; outros vão atrás de irmãs e irmãos abençoados para que orem por ele; outros vão atrás de pregadores; outros vão
em vigílias atrás dessas bênçãos.
Israel nesse texto representa a Igreja, as mesmas bênçãos prometidas a Israel estão disponíveis para a Igreja, que sou eu e que é você.
Neste texto nós encontramos promessas de bênçãos de Deus para todas às áreas da nossa vida:
1- Promessas de bênçãos para a viagem (V.3).
2- Promessas de bênçãos para os filhos (V.4).
3- Promessas de bênçãos para os seus negócios (V.4,5).
4- Promessas de livramento e punição para os teus inimigos (V.7).
5- Promessas de benção em tudo que puseres a tua mão (V.8).
6- Promessas de benção até para você emprestar aos outros (V.12).
7- Promessas de benção de você ser cabeça e não cauda (V.13).
As promessas de bênçãos de Deus são para onde você estiver e não em um lugar específico (V.3).
Em Gênesis 13 Abraão propôs a Ló se separarem, porque havia contenda entre os seus pastores e os pastores de Ló, pois eles tinham prosperado muito, e a terra já não comportava as duas fazendas. Abraão pediu para Ló escolher para onde queria ir.
- Ló escolheu as Campinas do Jordão, um lugar fértil e bonito.
- Sobrou para Abraão a terra seca e montanhesa de Canaã.
Deus abençoou Abraão em Canaã e ele ficou ainda mais rico.
- A benção não estava no lugar, mas estava em sua vida.
- A benção de Deus acompanha o servo de Deus, quando ele está no centro da Vontade de Deus.
Outro exemplo nós encontramos em II Samuel, quando a Arca do Senhor, que representa a presença de Deus ficou na casa de Obede-Edon por três meses, e toda a sua casa foi abençoada.
II Sm.6.11- E ficou a arca do Senhor em casa de Obede-Edon, o geteu, três meses; e abençoou o Senhor a Obede-Edon e toda a sua casa.
- Em três meses já deu para todos ao redor ver que Deus abençoava a Obede-Edon.
Agora para recebermos as bênçãos relatadas na Bíblia Sagrada, Deus exige algumas condições das nossas vidas.
1. Princípios de Deus para Recebermos as Suas Bênçãos.
V.1- E será que, se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje, o Senhor, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra.
V.2- E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor, teu Deus.
Deus estabeleceu princípios para que possamos receber as suas bênçãos.
- As bênçãos não caem do céu sem que façamos a nossa parte.
- É Deus sendo fiel aos princípios que Ele estabeleceu.
Vejamos aqui os princípios de Deus:
- A palavra que resume os princípios de Deus é: Obediência.
- Quebrou esse principio o crente deixa de receber a benção de Deus.
Dt.10.12- Agora, pois, ó Israel, que é o que o Senhor, teu Deus, pede de ti, senão que temas o Senhor, teu Deus, e que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor, teu Deus, com todo o teu coração e com toda a tua alma.
1- Temer a Deus.
O que é temer a Deus?
- Sentimento de reverência, respeito e obediência a Deus.
Pv.1.7- O temor do Senhor é o principio da ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.
- Esse temor faz que nós vivamos no mundo, o cristianismo, mesmo na ausência do pastor, dos irmãos, da família.
- O temor do Senhor faz nos desviarmos do pecado.
Pv.16.6- Pela misericórdia e pela verdade, se purifica a iniqüidade; e, pelo temor do Senhor, os homens se desviam do mal.
- A pessoa que tem o temor do Senhor, foge do pecado, como fez José no Egito (Gn.39.12).
Pv.14.27- O temor do Senhor é uma fonte de vida para preservar dos laços da morte.
2- Andar nos Caminhos de Deus.
- É se sujeitar-se a Deus; aos seus princípios; a sua verdade.
- É seguir pelo caminho que Deus traçou para o salvo.
- Andar nos caminhos de Deus é andar com Jesus.
Jo.14.6- Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida: Ninguém vem ao Pai senão por mim.
- Seguindo os seus ensinamentos.
- O caminho de Deus é estreito.
Mt.7.13,14- Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela.
E porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.
- O caminho de Deus para o crente é um caminho de renúncia.
- Se você quer as bênçãos de Deus mas não quer abrir mão de nada, não quer renunciar; você não receberá as bênçãos.
- O caminho da benção é o caminho de Deus.
3- Amar a Deus.
Essa é a base de todos os atos realmente espirituais e de toda conduta cristã.
- É o amor a Deus que nos faz lhe obedecer e praticarmos toda renúncia.
- Jesus citou que o amor a Deus é o maior de todos os mandamentos.
Mt.22.37,38- E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
- Temos que a amar a Deus de todo o nosso coração.
- Deus deve ser o nosso bem maior.
- A nossa prioridade número um deve ser Deus.
- Quem ama a Deus de todo o coração, busca a Deus em primeiro lugar.
4- Servir ao Senhor.
Esse é o cumprimento prático da lei do amor.
- Servir a Deus é fazer algo para o Senhor.
- Todos nós salvos fomos chamados para servir.
- O que você tem feito para Deus?
a) Está cantando no coral da igreja?
b) Está tocando na orquestra da Igreja?
c) Está trabalhando em algum departamento da igreja?
d) Está distribuindo folhetos?
e) Está visitando os necessitados e doentes?
f) Está no grupo de oração da igreja intercedendo pelas vidas?
- Nenhum de nós foi chamado para sermos expectadores.
- Deus honra quem o serve.
Jo.12.26- Se alguém me serve, siga-me; e, onde eu estiver ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.
- Quem serve a Deus sempre será galardoado.
- Se útil na obra de Deus é um dos grandes privilégios do crente.
5- Guardar os Mandamentos do Senhor.
O crente primeiro precisa conhecer a Vontade de Deus para depois vive-la.
- Guardar os mandamentos é aplicar a Palavra de Deus à sua vida.
- Todas as bênçãos de Deus estão condicionadas a sua Palavra.
- Quando o crente deixa de cumprir a Palavra de Deus, seu caminho fica embaraçado; manifesta-se um enfraquecimento espiritual e um distanciamento de Deus.
- Quando o crente não cumpri a Palavra de Deus, ele entristece a Deus e ao Espírito Santo.
- Deus te abençoa não é porque você é bonitinho; ou porque é filho de um crente muito piedoso; ou porque você é muito religioso e está assiduamente nos cultos.
- Deus te abençoa porque você cumpre a Palavra de Deus.
Mt.7.24- Todo aquele que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha.
Tg.1.22- E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.
- É fundamental para o crente cumprir a Palavra de Deus.
- As bênçãos de Deus estão condicionadas ao cumprimento da Sua Palavra.
- Eu não gosto daquele adesivo que estão nos carros e diz: “Deus é fiel”
- Para mim essa frase é muito generalizada.
- Eu colocaria: “Deus é fiel a Sua Palavra.”
- A fidelidade de Deus para conosco, está em cumprirmos a Sua Palavra.
Sl.128.1- Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos.
- Estes Salmos têm promessas de Deus para a família.
- Mas as condições para elas acontecerem estão no primeiro versículo.
- Temer a Deus e andar nos Seus caminhos.
- Toda a benção tem o seu preço.
- O preço de cumprir as condições de Deus reveladas na Sua Palavra.
 Se você  viver a Palavra de Deus, você não precisará correr atrás das bênçãos, é as bênçãos que correrão atrás de você.


Que Deus nos abençoe e nos guarde em nome de Jesus, amém!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

A Oração Eficaz


“Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e meteu o seu rosto 
entre os seus joelhos. E disse ao seu moço: Sobe agora e olha para a banda do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então, disse ele: Torna lá sete vezes. E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então, disse ele: Sobe e dize a Acabe: Aparelha o teu carro e desce, para que a chuva te não apanhe. E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro e foi para Jezreel”. 1Rs 18.42b-45

A oração é uma comunicação multifacetada entre os crentes e o Senhor. Além de palavras como “oração” e “orar”, essa atividade é descrita como invocar a Deus (Sl 17.6). Invocar o nome do Senhor (Gn 4.26), clamar ao Senhor (Sl3.4), levantar nossa alma ao Senhor (Sl 25.1), buscar ao Senhor (Is 55.6), aproximar-se do trono da graça com confiança (Hb 4.16) e chegar perto de Deus (Hb 10.22).

MOTIVOS PARA A ORAÇÃO. 

A Bíblia apresenta motivos claros para o povo de Deus orar. 

1) Antes de tudo, Deus ordena que o crente ore. O mandamento para orarmos vem através dos salmistas (1Cr 16.11; Sl 105.4), dos profetas (Is 55.6; Am 5.4,6), dos apóstolos (Ef 6.17,18; Cl 4.2; 1Ts 5.17) e do próprio Senhor Jesus (Mt 26.41; Lc 18.1; Jo 16.24). Deus aspira a comunhão conosco; mediante a oração, mantemos o nosso relacionamento com Ele.

2) A oração é o elo de ligação que carecemos para recebermos as bênçãos de Deus, o seu poder e o cumprimento das suas promessas. Numerosas passagens bíblicas ilustram esse princípio. Jesus, por exemplo, prometeu aos seus seguidores que receberiam o Espírito Santo se perseverassem em pedir, buscar e bater à porta do seu Pai celestial (Lc 11.5-13). Por isso, depois da ascensão de Jesus, seus seguidores reunidos permaneceram em constante oração no cenáculo (At 1.14) até o Espírito Santo ser derramado com poder (At 1.8) no dia de Pentecostes (At 2.1-4). Quando os apóstolos se reuniram após serem libertos da prisão pelas autoridades judaicas, oraram fervorosamente para o Espírito Santo lhes conceder ousadia e autoridade divina para falarem a palavra dEle. “E, tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus” (At 4.31). O apóstolo Paulo freqüentemente pedia oração em seu próprio favor, sabendo que a sua obra não prosperaria se os crentes não orassem por ele (Rm 15.30-32; 2Co 1.11; Ef 6.18, 20; Fp 1.19; Cl 4.3,4). Tiago declara inequivocamente que o crente pode receber a cura física em resposta à “oração da fé” (Tg 5.14,15).

3) Deus, no seu plano de salvação da humanidade, estabeleceu que os crentes sejam seus cooperadores no processo da redenção. Em certo sentido, Deus se limita às orações santas, de fé e incessantes do seu povo. Muitas coisas não serão realizadas no reino de Deus se não houver oração intercessória dos crentes (ver Êx 33.11). Por exemplo: Deus quer enviar obreiros para evangelizar. Cristo ensina que tal obra não será levada a efeito dentro da plenitude do propósito de Deus sem as orações do seu povo: “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9.38). Noutras palavras, o poder de Deus para cumprir muitos dos seus propósitos é liberado somente através das orações contritas do seu povo em favor do seu reino. Se não orarmos, poderemos até mesmo estorvar a execução do propósito divino da redenção, tanto para nós mesmos, como indivíduos, quanto para a igreja coletivamente.

REQUISITOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 

Nossa oração para ser eficaz precisa satisfazer certos requisitos.

1) Nossas orações não serão atendidas se não tivermos fé genuína, verdadeira. Jesus declarou abertamente: “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis” (Mc 11.24). Ao pai de um menino endemoninhado, Ele falou assim: “Tudo é possível ao que crê” (Mc 9.23). O autor de Hebreus admoesta-nos assim: “Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé” (Hb 10.22), e Tiago encoraja-nos a pedir com fé, não duvidando (Tg 1.6; cf. 5.15).

2) Além disso, a oração deve ser feita em nome de Jesus. O próprio Jesus expressou esse princípio ao dizer: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei” (Jo 14.13,14). Nossas orações devem ser feitas em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor (ver Jo 14.13).

3) A oração só poderá ser eficaz se feita segundo a perfeita vontade de Deus. “E esta é a confiança que temos nele: que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve” (1Jo 5.14). Uma das petições da oração modelo de Jesus, o Pai Nosso, confirma esse fato: “Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu” (Mt 6.10; Lc 11.2; note a oração do próprio Jesus no Getsêmani, Mt 26.42). Em muitos casos, sabemos qual é a vontade de Deus, porque Ele no-la revelou na Bíblia. Podemos ter certeza que será eficaz toda oração realmente baseada nas promessas de Deus constantes da sua Palavra. Elias tinha certeza de que o Deus de Israel atenderia a sua oração por meio do 
fogo e, posteriormente, da chuva, porque recebera a palavra profética do Senhor (18.1) e estava plenamente seguro de que nenhum deus pagão era maior do que o Senhor Deus de Israel, nem mais poderoso (18.21-24).

4) Não somente devemos orar segundo a vontade de Deus, mas também devemos estar dentro da vontade de Deus, para que Ele nos ouça e atenda. Deus nos dará as coisas que pedimos, somente se buscarmos em primeiro lugar o seu reino e sua justiça (ver Mt 6.33). O apóstolo João declara que “qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que é agradável à sua vista” (1Jo 3.22). Obedecer aos mandamentos de Deus, amá-lo e agradá-lo são condições prévias indispensáveis para termos resposta às orações. Tiago ao escrever que a oração do justo é eficaz, refere-se tanto à pessoa que foi justificada pela fé em Cristo, quanto à pessoa que está a viver uma vida reta, obediente e temente a Deus — tal qual o profeta Elias (Tg 5.16-18; Sl 34.13,14). O AT acentua este mesmo ensino. Deus tornou claro que as orações de Moisés pelos israelitas eram eficazes por causa do seu relacionamento obediente com o Senhor e da sua lealdade a Ele (ver Êx 33.17). Por outro lado, o salmista declara que se abrigarmos o pecado em nossa vida, o Senhor não atenderá as nossas orações (Sl 66.18; ver Tg 4.5 nota). Eis a razão principal por que o Senhor não atendia as orações dos israelitas idólatras e ímpios (Is 1.15). Mas se o povo de Deus arrepender-se e voltar-se dos seus caminhos ímpios, o Senhor promete voltar a atendê-lo, perdoar seus pecados e sarar a sua terra (2Cr 7.14; cf. 6.36-39; Lc 18.14). Note que a oração do sumo sacerdote pelo perdão dos pecados dos israelitas no Dia da Expiação não seria atendida se antes o seu próprio estado pecaminoso não fosse purificado (ver Êx 26.33).

(5) Finalmente, para uma oração eficaz, precisamos ser perseverantes. É essa a lição principal da parábola da viúva importuna (Lc 18.1-7; ver 18.1). A instrução de Jesus: “Pedi... buscai... batei”, ensina a perseverança na oração (ver Mt 7.7,8). O apóstolo Paulo também nos exorta à perseverança na oração (Cl 4.2 nota; 1Ts 5.17). Os santos do AT também reconheciam esse princípio. Por exemplo, foi somente enquanto Moisés perseverava em oração com suas mãos erguidas a Deus, que os israelitas venciam na batalha contra os amalequitas (ver Êx 17.11). Depois de Elias receber a palavra profética de que ia chover, ele continuou em oração até a chuva começar a cair (Ex 18.41-45). Numa ocasião anterior, esse grande profeta orou com insistência e fervor, para Deus devolver a vida ao filho morto da viúva de Sarepta, até que sua oração foi atendida (Ex 17.17-23).

PRINCÍPIOS E MÉTODOS BÍBLICOS DA ORAÇÃO EFICAZ. 

1) Quais são os princípios da oração eficaz? 
a) Para orarmos com eficácia, devemos louvar e adorar a Deus com sinceridade (Sl 150; At 2.47; Rm 15.11).
b) Intimamente ligada ao louvor, e de igual importância, vem a ação de graças a Deus (Sl 100.4; Mt 11.25,26; Fp 4.6). 
c) A confissão sincera de pecados conhecidos é vital à oração da fé (Tg 5.15,16; Sl 51; Lc 18.13; 1Jo 1.9). 
d) Deus também nos ensina a pedir de acordo com as nossas necessidades, segundo está escrito em Tiago: deixamos de receber as coisas de que precisamos, ou porque não pedimos, ou porque pedimos com motivos injustos (Tg 4.2,3; Sl 27.7-12; Mt 7.7-11; Fp 4.6). 
e) Devemos orar de coração pelos outros, especialmente oração intercessória (Nm 14.13-19; Sl 122.6-9; Lc 22.31,32; 23.34).

2) Como devemos orar? 

Jesus acentua a sinceridade do nosso coração, pois não somos atendidos na oração simplesmente pelo nosso falar de modo vazio (Mt 6.7). Podemos orar em silêncio (1Sm 1.13) ou em voz alta (Ne 9.4; Ez 11.13). Podemos orar com nossas próprias palavras, ou usando palavras diretas das Escrituras. Podemos orar com a nossa mente, ou podemos orar através do Espírito (i.e., em línguas, 1Co 14.14-18). Podemos até mesmo orar através de gemidos, i.e., sem usar qualquer palavra humana (Rm 8.26), sabendo que o Espírito levará a Deus esses pedidos inaudíveis. Ainda outro método de orar é cantar ao Senhor (Sl 92.1,2; Ef 5.19,20; Cl 3.16). A oração profunda ao Senhor será, às vezes, acompanhada de jejum (Ed 8.21; Ne 1.4; Dn 9.3,4; Lc 2.37; At 14.23; ver Mt 6.16).

3) Qual a posição apropriada, do corpo, na oração? 

A Bíblia menciona pessoas orando em pé (8.22; Ne 9.4,5), sentadas (1Cr 17.16; Lc 10.13), ajoelhadas (Ed 9.5; Dn 6.10; At 20.36), acamadas (Sl 63.6), curvadas até o chão (Êx 34.8; Sl 95.6), prostradas no chão (2Sm 12.16; Mt 26.39) e de mãos levantadas aos céus (Sl 28.2; Is 1.15; 1Tm 2.8).

EXEMPLOS DE ORAÇÃO EFICAZ. 

A Bíblia está cheia de exemplos de orações que foram poderosas e eficazes. 

1) Moisés fez numerosas orações intercessórias às quais Deus atendeu, mesmo depois de Ele dizer a Moisés que ia proceder de outra maneira.

2) Sansão, arrependido, orou pedindo uma última oportunidade de cumprir sua missão máxima de derrotar os filisteus; Deus atendeu essa oração ao lhe dar forças suficientes para derrubar as colunas do prédio onde os inimigos estavam exaltando o poder dos seus deuses (Jz 16.21-30). 

3) Deus respondeu às orações de Elias em pelo menos quatro grandes ocasiões; em todas elas redundaram em glória ao Deus de Israel (17-18; Tg 5.17,18). 

4) O rei Ezequias adoeceu e Isaías lhe declarou que morreria (2Rs 20.1; Is 38.1). Ezequias, reconhecendo que sua vida e obra estavam incompletas, virou o rosto para a parede e orou intensamente a Deus para que prolongasse sua vida. Deus mandou Isaías retornar a Ezequias para garantir a cura e mais quinze anos de vida (2Rs 20.2-6; Is 38.2-6). 

5) Não há dúvida de que Daniel orou ao Senhor na cova dos leões, pedindo para não ser devorado por eles, e Deus atendeu o seu pedido (Dn 6.10,16-22).

6) Os cristãos primitivos oraram incessantemente a Deus pela libertação de Pedro da prisão, e Deus enviou um anjo para libertá-lo (At 12.3-11; cf. 12.5 nota). Tais exemplos devem fortalecer a nossa fé e encher-nos de disposição para orarmos de modo eficaz, segundo os princípios delineados na Bíblia.

Mágoa, o cárcere da alma


Nós sofremos mais por causa das pessoas do que por causa das circunstâncias. As pessoas nos fazem chorar mais do que as vicissitudes da vida. As pessoas nos decepcionam e nós decepcionamos as pessoas. 

Os relacionamentos dentro da família, no  trabalho e até igreja, algumas vezes, se tornam tensos. Feridas são abertas na alma e mágoas profundas se instalam no coração. Amizades são rompidas, casamentos são abalados, relacionamentos sólidos entram em  colapso. Nesse processo, a comunicação é rompida, o silêncio gelado substitui as palavras de amor e a desconstrução da imagem do outros se torna uma verdadeira ação de desmonte.

O resultado do adoecimento das relações humanas é a mágoa. Esse sentimento de amargura se instala no solo do coração e lança suas raízes trazendo perturbação para a alma e contaminação para os que vivem ao redor. A mágoa é a ira congelada. A mágoa é o armazenamento do ressentimento. A mágoa é entulhar o coração com rancor, é alimentar-se do absinto do ranço, é afogar-se no lodo do ódio, é viver prisioneiro da armadilha da vingança.
A mágoa é uma prisão. Ela é o cárcere da alma, o calabouço das emoções, a masmorra escura onde seus prisioneiros são atormentados pelos verdugos da consciência. Quem se alimenta da mágoa não tem paz. Não tem liberdade. Não tem alegria. Não conhece o amor. Não tem comunhão com Deus. Não pode adorar a Deus, nem trazer sua oferta ao altar. Quem retém o perdão não pode orar a Deus nem receber dele o perdão.

A mágoa é autodestrutiva. Ferimo-nos  a nós mesmo quando nutrimos mágoa por alguém. Guardar mágoa no coração é como beber veneno pensando que o outro é quem vai morrer. Quem guarda mágoa no coração vive amarrado pelas grossas correntes da culpa. Quem vive nessa masmorra adoece emocional, física e espiritualmente. Há muitas pessoas doentes porque se recusaram a perdoar. Na igreja de Corinto havia pessoas fracas, outras doentes e algumas que já estavam mortas em virtude de relacionamentos adoecidos  (“Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo.” 1Co 11.3). Tiago ordena os crentes a confessarem seus pecados uns aos outros para serem curados (“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” Tg 5.16). Há muitas pessoas vivendo cativas no calabouço do diabo, prisioneiras do ódio, acorrentadas pela mágoa, cuja vida espiritual está arruinada. Gente que precisa ser liberta dessa prisão existencial, desse cativeiro espiritual.

O Salmista Davi orou pedindo a Deus para tirar a sua alma do cárcere (“Tira a minha alma do cárcere, para que eu dê graças ao teu nome.” Sl 142.7)A chave que abre a porta dessa masmorra é o perdão. O perdão traz cura onde a mágoa gerou doença. O perdão traz reconciliação onde a mágoa gerou afastamento. O perdão traz alegria, onde a mágoa produziu tristeza e dor. O perdão restitui aquilo que a magoa saqueou.  O perdão é a faxina da mente, a assepsia da alma, a limpeza dos porões do coração. Perdoar é zerar a conta. É nunca mais lançar no rosto da pessoa a sua dívida. Perdoar é lembrar de sentir dor. Perdoar é não retaliar. É pagar o mal com o bem. É abençoar aqueles que nos amaldiçoaram. É fazer o bem àqueles que nos fizeram o mal. Perdoar é ser um vencedor, pois é vencer o inimigo não com a espada, mas com o amor. Perdoar é sair do cárcere da alma, é ser livre, é viver uma vida maiúscula, superlativa e abundante. Perdoar é viver como Jesus viveu, pois ele não retribuiu o mal com o mal, antes por seus algozes intercedeu. Perdoar é ter o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus.

Chegou a hora de raiar a liberdade em sua vida. A Palavra de Deus liberta: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). Jesus Cristo liberta: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8.36). É hora de sair do cárcere que prende a sua alma com as grossas algemas da mágoa. É hora de experimentar a liberdade do perdão. É hora de tomar posse da vida abundante que Jesus lhe oferece!

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Uma História de amor e perdão!

O telefone tocou...

- Alô?


- Alô. Luciano?

- Sim. Quem é?
- Não conhece mais a minha voz?
- Não estou conseguindo identificar. Quem está falando?
- Nossa, como foi fácil pra você me esquecer... Acho que não tivemos muito significado...
- Nathasha?!
- Oi...
- Que surpresa você me ligar! Pra quem disse que queria me esquecer para sempre...
- Vai ofender? Eu desligo!
- Fique à vontade, querida. Quem ligou foi você mesmo...
- Não, espere, não vou desligar. Desculpe. É que estou aborrecida, só isso.
- Tá. E o que você quer?
- Nada. Eu só queria ouvir sua voz.
- Só? Então já ouviu. Mais alguma coisa?
- Espere, pare de ser grosso. Não, desculpe, não desligue. É que eu estou me sentindo muito sozinha.
- Foi você quem quis assim, querida. Sorva do seu próprio veneno.
- Realmente você não muda. Só sabe acusar...
- Bom, vou desligar. Tchau...
- NÃO, PELO AMOR DE DEUS, não desligue, espere, preciso te dizer algo...
- Fala logo, Natasha. Tenho que trabalhar.
- Eu estava errada. Me perdoe.
- ERRADA? Você estava errada? Tem certeza disso? Será que não é um pouco tarde pra dizer isso?
- Mas agora eu reconheço...Por favor, amor, me perdoe!
- Agora? Depois que você acabou comigo, querida? Até hoje eu pago o mico do papelão que você me fez passar... Convites distribuídos, acampamento alugado, comida encomendada, viagem paga, meu casamento com você, tudo perdido... (Luciano suspira). Sofri, sofri mesmo. Queria matar você! Droga, por que eu tive que amar você? Mas tudo bem. Já faz dois anos... Ah, meu Deus, dois anos...

- Luciano, pelo amor de Deus, me perdoe!
- Pra que você quer o meu perdão? Você nem ligou pra dizer que já estava com outro cara. Pra que perdão? Vai viajar com ele, vai viver com ele, meu bem... Só me deixe em paz, por favor!
Luciano chora baixinho.
Sem se dar conta, Luciano percebe uma pessoa na porta do escritório.
Era ela. Natasha estava olhando pra ele. Ela falava do celular.
Luciano fica perplexo, alegre e triste - ela está linda, belíssima, muito elegante. Mas seu rosto está abatido, cansado, doente. Na mão tinha uma sacola. Aproximou-se da mesa de Luciano, e, com olhos lacrimejantes, desligou o celular, olhou para ele e disse:
- Oi, amor.
- Oi, Natasha. Pare de me chamar de amor. Você tá um caco, filha!
Olhos baixos, Natasha começa a tirar da sacola algumas coisas: uma caixa do correio com um CD do Demmis Roussos, que Luciano havia enviado de presente no aniversário, uma boneca de porcelana numa casinha de papel, um celular pré-pago, alguns livros devocionais, uma bíblia de Genebra e um pacote de fotografias. Luciano a observava, perplexo, triste, e via as lágrimas de Natasha molharem a fórmica da sua escrivaninha. Cada objeto tirado era uma facada no coração sofrido de Luciano. Algumas coisas lhe custaram caro, ele fizera grande esforço para pagá-las. Mas, pensava ele, se era pra ela, valeria à pena o esforço. Quando tudo terminara, ele se arrependera de tanto gasto desperdiçado...
- Pensei que você havia jogado fora as coisas que lhe dei, Natasha...
- Eu nunca me esqueci de você, Luciano. Eu errei. Errei muito, me perdoe...
Luciano, jovem advogado, lutador com as interpéries da vida, sabia que Natasha poderia estar mentindo, como tantas outras vezes, quando namoravam e mesmo quando eram noivos. Mas havia um quê de diferente no olhar vermelho de Natasha.
- Por que você veio hoje aqui, Natasha? Deu a louca? O que te traz aqui?
- Natasha suspirou, chorou, recompôs-se e disse:
- Estou com câncer, Luciano...
- CÂNCER? Luciano petrificou-se.
- Sim, amor, eu vim me despedir. Saí do hospital à força, pra falar com você e pra morrer em casa...
Luciano não esperava por essa. Veio-lhe à memória uma de suas discussões, onde Natasha, na hora do nervoso, dissera: "E daí, Luciano? Que se dane a igreja, que se dane o pastor, que se dane você, e se Deus achar que estou errada, que me castigue..." Nossa, era como se a cena passasse de novo na mente de Luciano.
- Como foi, Natasha?
- Depois que eu deixei você, amor, fui caindo no abismo, afastei-me do Senhor, fui morar com o André, abandonei a Cristo. Eu estava cega. Mas Deus me amava, Luciano. Se eu não fosse dEle, estaria numa boa agora, bem com o André, bem comigo e pronta pra ir pro Inferno. Mas, por amor, Deus veio corrigir-me. Ele repreende e castiga a quem ama. Ele me ama, Luciano! Estou doente. Mas estou bem, porque estou podendo vir até você pra pedir perdão! Nunca fui feliz, nunca tive paz, saí de casa com 3 meses de vida a dois. O André me batia, me traía, eu fugi.
- E ele não foi buscar você de volta?!
- O André foi assassinado, Luciano. Tráfico de drogas.
Luciano estava perplexo.
- Luciano, estou voltando pro Senhor, estou me preparando pra partir. Mas tenho que receber o seu perdão, amor! Sei que nunca irei compensar o que lhe fiz, mas... por favor... ME PERDOA, AMOR!

Luciano olhou para aquele resto de mulher - outrora tão orgulhosa, ostentando tanta beleza e auto-suficiência, confiando tanto em seu corpo e em sua fulgurante beleza, e agora, bonita ainda, mas notadamente pálida, enferma, cheia de hematomas nos braços, pescoço e pernas, e triste, profundamente triste, a implorar-lhe perdão para morrer em paz!
Cena patética! Ali estava quem Luciano mais amara na vida, quem mais o fizera sofrer, a depender de uma palavra apenas, para morrer em paz!
"Hora da vingança", veio-lhe à mente. Claro, agora seria a hora da revanche! Mas Luciano era um moço crente, de bom coração, e seria incapaz de reter a bênção para aquela a quem tanto amara e que, infelizmente, ainda tanto amava e tanto o fazia sofrer...

Quer que eu perdoe você, Natasha?

SIM, PELO AMOR DE DEUS, Luciano! Nunca mais tomei a Ceia do Senhor, nunca mais louvei ao Senhor com alegria, nunca mais fui membro de igreja, não agüento mais! Aceito as conseqüências, mas, por favor, diga que me perdoa!

Enxugando as lágrimas, refazendo-se, Luciano olhou-a no fundo dos olhos, tomou as suas duas mãos, que estavam frias como as de um defunto, e lhe disse, num terno sorriso misericordioso:
Querida: desde que você foi embora eu já havia lhe perdoado. Mas, se você quer escutar e sentir paz, ouça-me: EU PERDÔO VOCÊ POR TUDO QUE ME FEZ. VOCÊ ESTÁ LIVRE EM NOME DE JESUS!

Natasha tremeu. Gritou "aleluia", sorriu, chorou, e caiu desmaiada.
Logo o assistente de Luciano veio ajudá-lo, e, colocando-a no carro, levaram-na para o hospital. Luciano tinha o telefone de toda a família ainda, ligou e avisou. Em uma hora todos estavam ali na recepção, tristes, aflitos, alguns desesperados. Chegou o pastor. A família implorou-lhe que fosse até a UTI orar com ela. O pastor, que conhecia o Luciano, olhou bem pra ele, pensou, fechou os olhos em oração, e, a seguir, falou:

Quem tem que entrar é o Luciano. Vá lá, Luciano. Eu conheço o diretor da UTI, pedirei autorização.

EU, PASTOR?

Sim, filho. Ela é o seu amor.

FOI, PASTOR...

Não, filho. Deus o uniu a ela novamente, ainda que seja na despedida.

Luciano não sabia o que fazer. A família, desconsolada, chorava, mas a mãe, certa do que tinha que ser feito, empurrou o Luciano até a porta, dizendo: "Vai, filho, corre, antes que seja tarde!"

Ah, aquele corredor que dava para a UTI parecia não ter fim! Cada passo dado era uma lembrança: o primeiro beijo, a primeira maçã-do-amor, o primeiro jantar, o primeiro por-do-sol juntos; o dia em que viajaram num encontro missionário, o dia em que foram juntos à praia e que ele deu de presente a primeira rosa! O jantar de noivado, os telefonemas, tudo. Não sobraram recordações da tragédia, da traição, do desprezo. Na verdade quem ama guarda as más experiências numa sacola furada. E Luciano fez assim.
Vestido com o jaleco, a máscara e o sapato de pano, Luciano entrou.
Vários boxes onde pessoas definhavam. Lá estava Natasha, no número 6. Estava no respirador artificial, cuja sanfona funciona como um pulmão e faz um barulho horripilante. Estava linda, mas totalmente ligada a aparelhos, notadamente cansada, em coma, morrendo. Luciano sentiu sua dor. Chorou. Tremeu. Segurou forte a mão de sua amada.
Pensou em Cristo, que dera a vida pela noiva, pensou em Oséias, que aceitou a esposa adúltera novamente, pensou em Deus, que tantas e tantas vezes tratou a Jerusalém com compaixão. Quem era ele para não perdoar? Quem era ele para não acolher?
Então orou.

"Senhor, o que posso dizer? Minha garota está morrendo! Ex-garota, claro. Mas mesmo assim está doendo, Pai! E eu sou impotente diante de tudo isso! Essas máquinas, esse cheiro de éter e de carnes inflamadas, esse barulho infernal, meu Pai, o que posso dizer? Que deixe a minha garota morrer em paz? Sim, Senhor, leve-a para a tua glória! Eu a amo! Mas sei que tu a amas mais do que eu! Abençoa a Natasha. Em nome de Jes...

Subitamente Luciano pensou em completar a oração com o seguinte pedido:
"Mas, Senhor, se ainda houver um espaço para ela viver para ti, recuperar parte do tempo perdido, se na tua infinita misericórdia não for demais, por favor, Senhor, cura a tua serva. Ela já sofreu bastante, ela aprendeu, Senhor. Até eu, que fui o mais ofendido, já a perdoei! Por favor, Senhor, se der, devolve-lhe a vida! Mesmo que não seja pra viver comigo. E agora sim, em nome de Jesus. Amém".

Por favor, me avisem - disse Luciano aos familiares - , me avisem quando tudo terminar. Quero estar presente.

E foi embora. Tirou a tarde para viajar, seu hobby preferido: foi pra uma cidadezinha próxima, ver o pôr-do-sol.

PARTE FINAL

No caminho, ao longo da rodovia, seus pensamentos corriam mais que o vento: por que tudo isso estaria acontecendo? As coisas não poderiam ter sido mais fáceis? E agora? Ele, no carro, ela no hospital, a lembrança daquelas máquinas monstruosas de prolongar a vida não lhe saíam da memória... As lágrimas corriam, misturadas à poeira do vento seco do caminho.
Revoltado com tudo isso, parou o carro no acostamento. Encontrou uma estradinha de terra. Devagar, como a seguir um féretro, entrou pela rota dos sitiantes. Subiu devagar a montanha, encontrou um mirante.
Parou, abriu a porta, e, num grito de dor e lamento, chorou. Ah, como chorou! Seu pranto escorria pela porta do carro. Os pássaros, assustados, aquietaram-se nas árvores, contemplando aquele misto de dor e revolta. Parecia que todo o mundo fazia silêncio em respeito a tanta dor.

Deus, por que? Por que? Por que? Por que tive que amá-la? Por que tive que vê-la? E agora, Senhor, o que fazer? E se tu a levares? O que será de mim? Eu já estava quase esquecendo, Senhor! Agora tudo volta a doer! Senhor, Senhor...

Cansado de tanto chorar, entrou no carro e deitou-se, estendendo o banco para o fundo. Travou a porta, colocou uma fita de música clássica e desfaleceu. Ali estava um moço de valor, que amava e que lutava entre sua vontade e a vontade de Deus.Sonhou durante o sono, no delírio da febre. Sonhou estar na igreja.
Viu o pastor a pregar, e, ao seu lado estava Natasha, bonita e sorridente. Lá do púlpito o pastor dizia: "Aquele que amar mais à sua mulher, mais do que a mim, não é digno de mim - palavras de Jesus!" E, aos poucos, o sorriso de Natasha foi sendo coberto por uma neblina e desaparecia. Assim acordou.
Assustado e cônscio de que Deus falara com ele, pôs-se a orar, dizendo:

Senhor, sei que é difícil, mas tenho que fazer isso. Confesso que estou revoltado, ó, Pai. Quero fazer a minha vontade, não a tua. Eu não estou conseguindo aceitar a tua vontade, caso seja a de levá-la embora! Sei que estou errado, Senhor, e sei que é isso que quisestes me falar. Senhor, sou teu servo e quero te obedecer. Se irás tirar a
Natasha mais uma vez, tira-a, apesar de mim. Por mais que isso doa,
Senhor, prefiro assim: não quero perder-te Senhor. Só me ajude e console o meu coração... Tu sabes o que será melhor para ela, e também melhor para mim. Em nome de Jesus, amém.

Voltou a dormir.
Toca o celular.

Alô?

Luciano?

Sim, sou eu.

Aqui é o pastor, filho. Como você está?

Bem mal, pastor. Mas sobrevivendo...

Eu orei por você, garoto. Pedi a Deus para lhe fazer suficientemente forte para renunciar, se preciso for. Você quer conversar sobre isso?

Pastor - disse, sorrindo o rapaz, - já o ouvi pregar agorinha mesmo no sonho, já renunciei a Natasha. Está doendo, mas estou em paz.
Obrigado.

Ótimo. Então volte pro hospital, Luciano. A Natasha acordou e saiu do estado crítico. Ela quer ver você...

O QUE??? SÉRIO, PASTOR?

Séríssimo. Vem com calma, mas acelera, filho...

Não levou hora e meia e Luciano estava entregando a chave do carro pro manobrista do hospital.

E a Natasha? , perguntou à mãe dela.

Filho, corre, ela está chamando por você! Vai, filho! Deus está agindo! Eu já a vi, mas ela teima que quer ver-lhe!

Agora o corredor do hospital era longo demais para ele. Se pudesse, daria três passos em um, para chegar mais rápido e contemplar o rosto de sua amada. Seu coração estava disparado, pensava no que ouviria e no que diria. O suor lhe escorria pela face e as vistas estavam enfumaçadas. Correu a vestir o jaleco, o sapato de pano, as luvas e a máscara. Box 06. Lá estava ela, e três médicos
palestrando. Ao olharem o rapaz, perguntaram:

Você é o Luciano?

Sim, doutor, sou eu. Por que?

Converse um pouco com ela. Ela gritou o seu nome por mais de meia hora e nos deixou quase loucos! Isso é que é amor! Mas seja breve, ainda não entendemos essa súbita melhora. Temos que medicá-la novamente.

Aproximou-se do leito. Os lábios de Natasha estavam sangrados, a boca ferida, canos haviam saído da garganta, o pescoço estava com fios, braços e pernas com soro, sondas, enfim, uma cena dramática, mas não tanto quanto na última vez. Pelo menos o respirador artificial estava desligado, e em silêncio...

Lu..cia..no.. me.u...a..mor....

Fala, querida, eu estou aqui!

Je..sus....veio..a..qui! Eu..vi!

Luciano deixou as lágrimas verterem de seus olhos, lágrimas quentes e profundas.

Você estava sonhando, querida.

Nã..ão, meu ..a..mor, Je..sus veio...me di..zer.. uma..coi..sa!

Um tanto alegre, mas também incrédulo, Luciano pergunta:

E o que Jesus lhe disse, amor?

Dis.se...que.. vo..cê..me ama..va e..que..es.ta...va... (cof! cof!) es..ta..va. orando lá..num sí..tio.. por..mim...e ..lu..tan..do ...para me renun..ciar..

Luciano gelou. Natasha completou:

E..le.. me..dis..se..que..a.ceitou..a.sua..or.a..ção!

Agora ele estava arrepiado. Não só isso, ele estava com as pernas totalmente moles e adormecidas, num misto de medo e perplexidade.

E sobre você, amor, ele disse alguma coisa?

Dis.se..pa..ra....que..eu não ...pe..casse.. de nno..vo... - Natasha adormeceu.
Natasha!!! Natasha!! Não morra!!!

Calma, garoto - disse o médico - ela só adormeceu. Fique tranqüilo, mas saia agora, temos que seguir os procedimentos necessários.

E assim foi.
Natasha saiu do hospital em 20 dias. Sem explicação convincente, os médicos quiseram impetrar a si mesmos um erro de avaliação e diagnóstico,dizendo que pensaram que havia câncer onde nada existia, mas não sabiam explicar as dúzias de exames, de biópsias, de ressonâncias e de quimioterapias feitas. Claro, grande parte da medicina desconhece o poder de Deus, a misericórdia do Altíssimo. E um câncer desaparecido tem que parecer um mero "erro médico". Mas o milagre acontecera de fato...
Outra tarde, fim de expediente no escritório de Luciano, Natasha de pé em frente à escrivaninha de trabalho dele.

Luciano, de agora em diante eu viverei cada dia como um milagre do
Senhor, e viverei apenas e tão-somente para a glória Dele.

Que bom, Natasha! Espero que você seja feliz! Orarei sempre por você!

Luciano...

Fale, querida.

Quero pedir só mais uma coisa.

Se eu puder atender...

Eu quero me casar com você e ser a sua mulher, a sua companheira, e servir ao Senhor ao seu lado. Eu te amo! Me perdoe por tudo que fiz!

Era tudo o que o rapaz queria ouvir. Sorridente, abriu a gaveta da escrivaninha e tirou uma linda boneca de porcelana, numa casinha de papelão, idêntica à primeira, presenteada quando começaram a namorar. Levantou-se, entregou-lhe a boneca, abraçou sua amada pela cintura, trazendo-a para junto de seu rosto, e lhe disse, com um brilho jamais visto em seu olhar:

Eu perdôo você e quero recebê-la como minha esposa, meu amor. Eu te amo!

Também te amo, querido!

Não se podia descrever o que era mais bonito e brilhante; se o brilho do sol da tarde, clareando toda a sala pelas vidraças, ou se o brilho do beijo de Natasha e Luciano, ao som da mais linda música que o mundo pode ouvir: o palpitar de dois corações apaixonados.
Aliás, apaixonados por Deus primeiramente, e, por causa do Senhor, apaixonados um pelo outro...

Pastor Wagner Antonio Araújo

(Retirado da Internet)